ORIGEM DO HOLOCAUSTO

 

O holocausto, queima de animal em oferta a um deus, só pode ter tido origem nos tempos mais primitivos da humanidade, quando o homem via animais queimados por incêndios provocados pelos raios. Só essa origem tão remota é que poderia levar esses sacrifícios a todas as partes do mundo onde o homem chegou.

 

Para a maioria dos religiosos, judeus, cristãos e muçulmanos, o deus verdadeiro criou o universo seis mil anos atrás e, desde o início, instituiu o sacrifício de animais para expiação dos pecados.  Mas a história não é bem assim. Populações das Américas, separadas dos povos que estão do outro lado do Atlântico por muitas dezenas de milhares de anos, seus deus também recebiam os mesmos sacrifícios.

 

Análises arqueológicas e do DNA indicam que, cerca de próximo de cem mil anos atrás, a humanidade ainda estava concentrada na África e parte dos humanos começam a migrar para outros lugares. Como os habitantes das Américas chegaram ao continente por uma antiga passagem no Alaska, e outros grupos parece terem passado por meio de ilhas do Pacífico, deduz-se que eles estão separados dos africanos por todas essas dezenas de milhares de anos. No entanto o ritual de sacrifícios de animais e até de seres humanos sempre existiu entre eles, o que evidencia que esses sacrifícios não foram invenções humanas recentes.

 

Todos os animais, quando ouvem um rugido, devem imaginar a presença de um leão.  Da mesma forma, ao ouvirem um trovão, devem imaginar a proximidade de um animal muito mais poderoso por perto. Devem passar a vida temendo esse grande animal que ruge tão fortemente. 

 

O homem primitivo, que já evoluiu imaginando a existência desse animal monstruoso, vez ou outra, via restos de animais se queimando em decorrência de incêndios provocados pelos raios.  Para esse humano primevo, o raio era algo lançado por aquele ser imaginário invisível.

 

Certo dia, alguém deve ter tido uma ideia que pareceu brilhante. Como toda fera gosta muito de carne e sangue, essa deveria ficar feliz se lhe fossem oferecidos seres vivos para devorar.  E, tendo em vista aqueles animais que eram mortos e queimados pelo fogo dos raios que se imaginava que esse ser produzisse, o ideal seria matar algum ser vivo e queimar para satisfazê-lo.  Estava resolvido o problema.  O animal invisível estaria feliz e não iria prejudicar o homo sapiens. E, doravante, prosseguiu a humanidade matando animais e os próprios seres humanos para oferecer em sacrifício a esse ser imaginário, ritual esse que ainda hoje existe nos meios religiosos mais retrógrados. 

 

A ideia vinda do homem mais primitivo de que a fera imaginária é que queimava os animais por meio do fogo vindo dos raios é a razão de o sacrifício de animais e pessoas existir até nas Américas, cujos habitantes estiveram separados dos africanos por muitas dezenas de milhares de anos.

 

 

Ver mais POR QUE SE CRÊ

 

..

.