MAS ELE CONSEGUIU MUITO!
01/01/2020

 

Nosso desejo foi que ele não conseguisse cumprir todos seus intentos contra o país.  Todavia, infelizmente, conseguiu uma porção estragos em 2019.

 

31/04/2019 - Já que Temer acabara com o programa "Farmácia Popular", Bolsonaro dá mais uma mãozinha, autorizando aumento dos preços dos medicamentos acima da inflação ("O governo federal autorizou um reajuste de até 4,33% no preço dos produtos para 2019. Acima da inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que acumula de março do ano passado até fevereiro deste ano 3,89%." - https://horadopovo.org.br/precos-dos-remedios-sobem-acima-da-inflacao/)

 

 

8 de março

Governo Bolsonaro suspende financiamento para agricultura familiar

 

 

DESMONTE DA NOSSA PETROLEIRA

Nesse pouco tempo de governo, já decidiu desfalcar a produção da Petrobrás em mais de "1,1 milhão de barris de petróleo por dia".

 

 

15 de abril de 2019

"O governo federal entregou ao Congresso Nacional no dia 15 sua proposta de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2020. O projeto, escrito pelo Ministério da Economia, acaba com o aumento real no salário mínimo. A LDO de Bolsonaro também não prevê a realização de concursos públicos, além de prever um déficit de R$ 124,1 bilhões."
<http://www.andes.org.br/conteudos/noticia/orcamento-de-2020-preve-fim-do-aumento-real-no-salario-minimo1>

 

 

MENOS CIÊNCIA E TECNOLOGIA

"No início deste mês, Bolsonaro anunciou que o orçamento do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação seria cortado pela metade e que os programas de bolsas para o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, chamados CNPq, a principal agência de pesquisa científica do Brasil, seriam cortadas também.

O orçamento do CNPq, que sustenta as bolsas de 80 mil brasileiros, já havia sido drasticamente reduzido no começo deste ano, pouco depois da posse de Bolsonaro."
<https://www.nationalgeographicbrasil.com/meio-ambiente/2019/04/brasil-reduz-financiamento-cientistas-ciencia-pesquisa-pesquisador-universidade-publica-bolsonaro-governo-usp-unb-educacao>

 

 

26 de abril de 2019

"Bolsonaro decreta fim das faculdades de Filosofia e Sociologia: 'Objetivo é focar em áreas que gerem retorno imediato'

Enquanto os filhos - e ele próprio - são doutrinados pelo "filósofo" Olavo de Carvalho, Bolsonaro decreta fim dos estudos de humanas alegando que a educação deve servir para ensinar 'leitura, escrita e a fazer conta e depois um ofício que gere renda para a pessoa'"
<https://www.revistaforum.com.br/bolsonaro-decreta-fim-das-faculdades-de-filosofia-e-sociologia-objetivo-e-focar-em-areas-que-gerem-retorno-imediato/>

 

 

30 de maio de 2019

Liberou mais 12 agrotóxicos, completando 166 só no ano, sendo 46 deles extremamente tóxicos.

 

 

Julho/2019

"Ministério da Saúde suspende fabricação de 19 remédios; veja aqui a lista dos medicamentos interrompidos: Entre os afetados estão tratamentos para câncer, diabete e transplantes, o que pode afetar mais de 30 milhões de pacientes no País

(Estadão, 16/07/2019)

 

18 de julho/2019

Ministro da Educação retira dos reitores o processo de nomeação dos pró-reitores e diretores, concentrando no MEC tal função, além de algumas outras.

 

22/07/2019

Governo libera 51 agrotóxicos e totaliza 290 substâncias autorizadas no ano ... - Veja mais em https://noticias.uol.com.br/meio-ambiente/ultimas-noticias/redacao/2019/07/22/governo-libera-mais-51-tipos-de-agrotoxicos-totalizando-290-no-ano.htm?utm_source=chrome&fbclid=IwAR1hYWqGdWZEtkuIbMboNGSlKAtVzIVMmLSi_sdjKTNtR8CaCMmVBvuu7iQ&cmpid=copiaecola
Governo libera 51 agrotóxicos e totaliza 290 substâncias autorizadas no ano ... - Veja mais em https://noticias.uol.com.br/meio-ambiente/ultimas-noticias/redacao/2019/07/22/governo-libera-mais-51-tipos-de-agrotoxicos-totalizando-290-no-ano.htm?utm_source=chrome&fbclid=IwAR1hYWqGdWZEtkuIbMboNGSlKAtVzIVMmLSi_sdjKTNtR8CaCMmVBvuu7iQ&cmpid=copiaecola
Governo libera 51 agrotóxicos e totaliza 290 substâncias autorizadas no ano... - Veja mais em https://noticias.uol.com.br/meio-ambiente/ultimas-noticias/redacao/2019/07/22/governo-libera-mais-51-tipos-de-agrotoxicos-totalizando-290-no-ano.htm?utm_source=chrome&fbclid=IwAR1hYWqGdWZEtkuIbMboNGSlKAtVzIVMmLSi_sdjKTNtR8CaCMmVBvuu7iQ&cmpid=copiaecola

Governo libera mais 51 agrotóxicos e totaliza 290 substâncias autorizadas no ano.

 

Segue aqui uma lista de Claudinof Barros em 18/01/2020:

 

Engula tambem esses dados REAIS:


1- Retirada da população LGBT da Política de Direitos Humanos

Em uma de suas primeiras ações como presidente do Brasil, medida provisória de número 870, Jair retirou a população LGBT das diretrizes de Direitos Humanos.


2- Extinção de 22,4 mil cargos da Saúde; destes, 10,6 mil são agentes comunitários.

Outra medida de Bolsonaro foi assinar, na última sexta-feira (20), um decreto que extingue 27,6 mil cargos efetivos. Destes, 14,2 mil são cargos efetivos que estão vagos, e outros 13,4 mil estão preenchidos – serão extintos quando vierem a vagar, e não haverá reposição. A Saúde é a área mais afetada, com 22,4 mil cargos extintos, ou cerca de 81%. O decreto foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União. A extinção dos cargos vale a partir de 26 de fevereiro de 2020.


3- Contrariando a OMS, ministério da Saúde de Bolsonaro veta termo violência obstétrica
Agora atacando as mulheres, o ministério da Saúde de Bolsonaro determinou que o termo violência obstétrica fosse evitado em documentos de políticas públicas.
Segundo o estudo “Mulheres brasileiras e gênero nos espaços público e privado”, realizado pela Fundação Perseu Abramo em parceria com o Serviço Social do Comércio (SESC), em 2010, uma em cada 4 mulheres foi vítima de violência obstétrica no Brasil. Porém, Bolsonaro e seu ministério querem ‘abafar’ os casos.


4- Desgoverno Bolsonaro acaba com reajuste real do salário mínimo
Jair Bolsonaro acabou com a Política de Valorização do Salário Mínimo implementada por Lula e transformada em lei por Dilma Rousseff. o salário mínimo seja reajustado apenas pela inflação, acabando com o ganho real.


5- Liberação recorde de agrotóxicos
Em menos de nove meses, Bolsonaro liberou 404 tipos de agrotóxicos no Brasil. Os valores são absurdos. Em 200 dias, o desgoverno fez mais liberações de novos agrotóxicos do que a União Europeia (UE) nos últimos oito anos. Foram 239 autorizações no Brasil contra 229 na UE.
A liberação de venenos beneficia apenas a bancada ruralista, que anda de mãos dadas com o desgoverno.


6- Amazônia perde área maior que 300 mil campos de futebol
Jair Bolsonaro também não se importa com o meio ambiente e está colocando em risco o futuro da Amazônia. Em julho, com o aval dado ao desmatamento, a floresta já havia perdido 2.273,6 km², o equivalente a 318 mil campos de futebol.
Em 2014, o Brasil era reconhecido pela Organização das Nações Unidas (ONU) como um exemplo que o mundo deveria seguir no combate ao desmatamento.


7- Vergonha internacional
Não bastasse a vergonha que passa ao anunciar seus retrocessos no Brasil, Bolsonaro também passou vergonha para o mundo inteiro. Durante o discurso na Assembleia-Geral da ONU em setembro, Jair fez ataques infundados e espalhou fake News como se estivesse discursando para um grupo de amigos terraplanistas. Em uma fala extremamente agressiva, Bolsonaro não teve vergonha de mentir para o mundo até mesmo sobre a preservação ambiental brasileira ao afirmar que a “a Amazônia permanece quase intocada”.


8- Fim do departamento de HIV/Aids no Ministério da Saúde
O desgoverno não tem qualquer compromisso com a saúde do povo brasileiro. Uma das provas disso foi o desmonte do programa que tratava HIV/Aids no Ministério da Saúde.


9- Alteração das regras na Saúde e redução do acesso ao SUS
Continuando a atacar a saúde, o desgoverno fez a primeira alteração no alocamento de recursos em mais de 20 anos. O Ministério da Saúde anunciou que para fazer o repasse de recursos aos municípios levará em conta o número de pacientes cadastrados nas equipes de saúde, o que pode causar a exclusão de muitos brasileiros.


10- Aumento do custo do botijão de gás
As mentiras de Bolsonaro começaram já em sua campanha eleitoral, quando fez inúmeras promessas à população. Um a um, esses compromissos estão sendo esquecidos. Um exemplo é o preço do gás, que Jair prometeu baixar para apenas R$ 30 no seu mandato. Porém, em outubro de 2019, o preço médio do botijão já é R$ 65 podendo alcançar R$ 115, e deve continuar aumentando.


11- Desmonte do Estado e venda de empresas públicas
Como mais uma etapa do desgoverno neoliberal, Bolsonaro e Paulo Guedes promovem a tentativa de liquidação do patrimônio nacional, que prevê a venda ou extinção de empresas públicas como Correios, Telebras e Eletrobras. Ao todo, 17 empresas estão no plano de desmonte do Estado brasileiro elaborado pelo ministro da Economia.


12- Reforma da Previdência que retirou direitos previdenciários
A proposta da “Nova Previdência” do desgoverno e aprovada pelo Senado Federal significou corte de mais de R$ 800 bilhões em direitos. O valor foi retirado da população na forma de redução dos valores de benefícios, ampliação do tempo de contribuição e, para milhões de trabalhadores, a inviabilização do acesso à aposentadoria.
A diminuição do salário mínimo, a perpetuação do alto índice de desemprego e as novas regras da aposentadoria levarão à redução de dinheiro em circulação na economia a longo prazo.


13- Trabalho informal, sem carteira assinada e por conta própria batem recorde
o número de trabalhadores sem carteira e por conta própria atingiu uma marca histórica no trimestre encerrado em outubro.
De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra Domiciliar (Pnad) Contínua, foram 11,9 milhões de trabalhadores sem carteira assinada e 24,4 milhões por conta própria. Ainda segundo o levantamento, a taxa de informalidade, que inclui empregados domésticos sem carteira e empregados sem CNPJ ficou em 41,2% – um total de 38,8 milhões de trabalhadores nessas condições.


14- Bolsonaro prejudica desempregados ao taxar benefício do seguro-desemprego
O governo resolveu taxar em 7,5% o seguro-desemprego, enquanto isso, alivia os encargos para as empresas contratantes.


15- Desmonte do programa Minha Casa Minha Vida
O desgoverno anunciou em novembro que não haverá mais contratações para a faixa 1 do programa Minha Casa Minha Vida. As obras já contratadas serão terminadas, ainda assim, em ritmo lento.
Além disso, a previsão de investimento no Minha Casa Minha Vida caiu de R$ 4,6 bilhões em 2019 para R$ 2,7 bilhões para o próximo ano. Esse deve ser o menor orçamento da história do programa, que completou dez anos de existência em 2019.


16- Dólar tem alta recorde e alcança R$ 4,27
O aumento do dólar é apenas mais uma das consequências do acúmulo de retrocessos impostos desde o primeiro dia do desgoverno Bolsonaro.


17- Tentativa de desmonte da educação
Durante o ano de 2019, Bolsonaro e o ministro da Educação, Abraham Weintraub, promoveram polêmicas na área e tentaram desmontar a educação pública brasileira. Em março, o desgoverno anunciou contingenciamento de R$ 5,8 bilhões nas verbas destinadas às universidades públicas e programas de fomento à pesquisa, que desencadearam protestos por todo o país.
Além disso, o ministério da Educação do desgoverno também anunciou o Future-se, programa que prevê a ingerência de capital privado nas universidades públicas e institutos federais. Lançado em julho, o programa propõe um “novo modelo de financiamento” do ensino superior no Brasil, com “maior autonomia financeira às universidades e institutos federais por meio de incentivo à captação de recursos próprios e ao empreendedorismo”. Porém, na prática, significa promover uma espécie de terceirização da gestão e do financiamento das instituições e a maioria das universidades públicas já rejeitam e criticam instalação do projeto.

 

E conseguiu manter em 2019 o crescimento da pobreza que vem desde o início do golpe.

 

A pobreza só aumentou.

 

E, até o mês de outubro de 2019, já 719.500 empresas haviam falido, com o país em recessão camuflada.

 

"No primeiro ano de governo, o presidente Jair Bolsonaro aumentou os gastos com investimentos e custeio da máquina para a área de Defesa e reduziu as despesas para a Educação, Saúde e Segurança. O resultado final das contas do governo federal, divulgado pelo Tesouro, mostrou um aumento real (acima da inflação) de 22,1% das despesas da Defesa em relação a 2018. Um incremento de R$ 4,2 bilhões de um ano para o outro."

 

Março de 2020.

 

Publicou uma medida provisória que permitia às empresas a suspensão do contrato de trabalho por um período, sem pagamento de salário, podendo (não devendo) o empregar dar uma ajuda, ideterminada.  Só após severas críticas, voltou atrás:

BOLSONARO QUASE INVIABILIZADA A VIDA DO TRABALHADOR

 

 

Ver mais POLÍTICA BRASILEIRA

 

..

.